A ansiedade é conhecida como o mal do século. Ela tem complicado a vida de muita gente e pode evoluir a ponto de tornar-se um transtorno generalizado de ansiedade. Tenho recebido muitas pessoas no consultório sofrendo por causa da ansiedade: dizem estar vivendo uma crise de ansiedade, tendo sintomas como sudorese, palpitação, dificuldades em dormir…mas o que realmente é esse transtorno?

Ansiedade é um estado psíquico de apreensão ou medo provocado pela antecipação de uma situação desagradável ou perigosa. Geralmente vem acompanhado por sintomas de tensão.

Será que apenas o fato de ter expectativa sobre algo, gera ansiedade?

Na verdade a questão não é a expectativa, mas é a realidade presente. Quando a realidade não esta de acordo com as projeções e os desejos, a ansiedade surge. Tenho visto muito pessoas com ideias, projetos e sonhos, mas à medida que não conseguem o resultado da maneira ou no tempo esperado, frustram-se, tornam-se ansiosas. Elas esperam por algo que nem sempre acontece do jeito que pensaram. Os tempos atuais têm auxiliado no aumento crescente da ansiedade: a necessidade de ter um resultado rápido a todo tempo. Já vivemos a geração Coca-cola. Hoje, vivemos a geração “do miojo” e acabamos passando o mesmo olhar para as nossas ideias, sonhos e projetos. Queremos que se realizem de forma instantânea e sem necessidade de ajustes ou trabalho duro. Mas esse processo faz parte do aprendizado e do caminho, faz parte da maturidade e da preparação do sonho. Manter a expectativa é importante para a realização dos objetivos. É necessário vivenciar cada etapa do processo antes do resultado e, independente da realidade presente, o que importa é a perspectiva que mantemos.

Já dizia o filósofo dinamarquês Kierkegaard:

Quem só espera o melhor, envelhece por causa das decepções.

E quem só espera sempre o pior, envelhece depressa por conta do sofrimento.

Por isso, o segredo é não se entregar, hoje, a preocupações com o que ainda está por acontecer e, sim, dar atenção ao que acontece no momento.

O equilíbrio, o respirar fundo e o não agir automaticamente ainda são grandes ferramentas para controlar a ansiedade.

Bianca Benevenuti

Bianca Benevenuti

Experiência de mais de 12 anos em Psicologia, atuando na área Clínica e Organizacional. Me especializei em ajudar Famílias, Casais e Profissionais a se relacionarem de forma mais efetiva e harmônica. Desenvolvendo e aprimorando os relacionamentos a comunicação e atingindo o resultado esperado.
Bianca Benevenuti