Albert Einstein, John Lennon, Leonardo da Vinci, Muhammad Ali, Pablo Picasso. Você sabe o que todos esses nomes, considerados grandes gênios da Música, Arte, Ciência e Esportes, tinham em comum?

Todos eles eram diagnosticados com com um dos mais frequentes distúrbios de aprendizagem do mundo: a Dislexia. Estima-se que esse conhecido transtorno atinge entre 5% e 17% de toda a população mundial.


O QUE É A DISLEXIA

A dislexia é um transtorno de aprendizagem caracterizado pela dificuldade de ler e escrever, assim como problemas na fala e soletração. Lentidão na aprendizagem, dificuldade de concentração, palavras escritas de forma estranha e confusão entre letras de sons ou grafias parecidas são algumas características que podem ajudar a identificar esse distúrbio.

Geralmente diagnosticada na infância – especialmente durante o período de alfabetização – a Dislexia pode aparecer junto a outros distúrbios como a Hiperatividade e o Transtorno de Déficit de Atenção.

Considera-se, hoje, que as causas da Dislexia podem ser tanto genéticas como ambientais. Fatores como alterações neurobiológicas, perturbações e traumas no começo da vida da criança podem provocar o aparecimento desse transtorno.


COMO IDENTIFICAR OS SINAIS E DIAGNOSTICAR A DISLEXIA

Os sintomas da dislexia são iguais para crianças, adolescentes e adultos. Porém, ela pode ser identificada mais facilmente na infância, quando começa-se a notar dificuldades de aprendizagem e alfabetização. É muito importante que a família preste muita atenção no desenvolvimento da criança nessa fase e procure a ajuda de especialistas caso note essas dificuldades em excesso. Para realizar o diagnóstico da dislexia, é preciso de diferentes profissionais como o pedagogo, o psicólogo e o fonoaudiólogo. Veja os principais sinais da dislexia que aparecem nas salas de aula:


PRIMEIROS SINAIS NA INFÂNCIA

  • Dispersão;
  • Falta de atenção;
  • Atraso na fala e linguagem;
  • Dificuldade em aprender rimas e canções;
  • Atraso na coordenação motora;
  • Falta de interesse por livros.

OS IMPACTOS DA DISLEXIA NO APRENDIZADO ESCOLAR

  • Dificuldade para aprender e automatizar a leitura e escrita;
  • Desatenção e dispersão em sala de aula;
  • Dificuldade em copiar palavras de de livros e lousa;
  • Dificuldade em ler em voz alta e compreender o que leu;
  • Dificuldade em colocar pensamentos em palavras: hesita muito, deixa e até gagueja sob estresse;
  • Confunde letras, números e palavras frequentemente;
  • Lê e relê com pouca compreensão;
  • Muitas vezes é visto como preguiçoso, “não tentando o suficiente” ou com problemas de comportamento;
  • Tem baixa autoestima: tenta esconder suas fraquezas e fica facilmente frustrado com suas dificuldades de leitura ou desempenho em provas escritas.

psicologo qualquer lugar


CARACTERÍSTICAS E COMPORTAMENTOS DE PESSOAS DISLÉXICAS

Separamos algumas características muito comuns a pessoas disléxicas, como traços de personalidade, habilidades motoras e hábitos do dia-a-dia:

  • Apesar de não ter um bom desempenho escolar, têm um alto QI (Coeficiente de Inteligência);
  • Costumam ser talentosos em áreas como arte, música, esportes, mecânica, vendas e negócios;
  • Parecem viajar ou sonhar acordado muitas vezes;
  • Aprendem melhor por experiências práticas, demonstrações, experimentação, e observação;
  • Podem ser ambidestros e muitas vezes confundem esquerda com direita;
  • Têm uma memória de longo prazo excelente para experiências, lugares e rostos, mas memória ruim para, fatos e informações que não tenham sido experimentadas;
  • Pensam principalmente com imagens e sentimentos, ao invés de sons ou palavras;
  • Tendem a ter seus sintomas agravados com locais bagunçados, sob pressão e estresse emocional;
  • Costumam ter um senso forte de justiça e grande sensibilidade emocional.


Como posso auxiliar meu filho nas tarefas escolares?

Algumas estratégias podem auxiliar no processo de aprendizagem, como solicitar que a criança leia em voz alta com o auxílio de um adulto para que possa corrigi-la. É importante saber que ajudar os disléxicos a melhorar a leitura é muito trabalhoso e exige muita atenção, dedicação e repetição. Mas um bom tratamento certamente rende bons resultados.

Desta forma, acredita-se que quando os filhos são estimulados por sua família, escola e especialistas, suas dificuldades são amenizadas. Veja o que você pode fazer para ajudar seu filho:

  • Valorize sempre os conteúdos realizados pela criança, os disléxicos necessitam de estimulação continua.
  • Seja claro nas orientações, dê exemplos. Tenha paciência para repetir as orientações referente à tarefa.
  • Esteja sempre em contato com o professor e profissionais que acompanham o aluno, sabendo quais as letras já foram trabalhadas para que possa ser exigido o acerto.
  • Questione o entendimento da criança referente às atividades.
  • Trabalhe o erro como forma de aprendizado e nunca de punição.

 

AS PRINCIPAIS FORMAS DE TRATAR A DISLEXIA

Apesar de não haver cura para dislexia, tratamentos realizados podem alcançar ótimos resultados na superação das dificuldades apresentadas pelos disléxicos. O tratamento desse transtorno, com o suporte da escola, família e profissionais como o pedagogo, o psicólogo e o fonoaudiólogo, é feito por meio de estratégias de aprendizagem que estimulam a leitura, a escrita e a visão. Veja como os sintomas da Dislexia podem ser tratados:

Fonoaudiologia
Nessa parte do tratamento, o fonoaudiálogo ensina estratégias para facilitar a leitura e diminuir a dificuldade em associar os sons da fala à escrita. É importante que o disléxico treine constantemente essas estratégias para manter e reforçar o que aprendeu.

Adaptações na escola
A escola tem um papel muito importante na inclusão da criança ou adolescente disléxico em sala de aula. O professor e outros profissionais devem criar maneiras de estimular a autonomia e autoestima do disléxicos, como dar instruções orais e escritas, explicar claramente as atividades que serão realizadas e realizar atividades em grupo e fora da sala de aula.

Acompanhamento psicológico
O tratamento psicológico é muito importante. É muito comum que o disléxico tenha baixa autoestima e dificuldades em relacionamentos interpessoais por causa de seu transtorno de aprendizagem. A terapia pode ajudar o disléxico a se relacionar com outras pessoas de uma forma mais saudável.

 

O Zenklub

Se você é disléxico ou conhece alguém que seja e quer saber um pouco mais sobre como a orientação psicológica pode amenizar as dificuldades desse transtorno, conheça um pouco mais do nosso trabalho.

No Zenklub temos mais de 100 psicólogos que podem ajudar você a percorrer esse caminho através de vídeo-consultas, de onde você estiver, sem ter que sair de casa.

 

Zenklub

Zenklub

Proporcionar um estilo de vida mais saudável e permitir que as pessoas se empoderem da sua saúde emocional e bem-estar é o objetivo do Zenklub. Para além das matérias no blog, no site você pode consultar um psicólogo por vídeo-chamada de onde estiver. São mais de 80 psicólogos a um clique de distância.
Zenklub