Todo os dias somos rodeados por sons que nos afetam de diferentes formas. Seja o trânsito diário, uma conversa mais alta ou mesmo uma estação de rádio dando as últimas notícias. Se parássemos para refletir sobre como essas sonoridades nos afetam conseguiríamos compreender o efeito benéfico que meditar com música pode fazer para o nosso relaxamento.

“Certamente, a música é uma ferramenta muito importante nas práticas de relaxamento.”, afirmou a psicoterapeuta especialista em Mindfulness, Marjorie Carvalho. Claro, em práticas tradicionais a música não é utilizada, pois o silêncio absoluto é recomendado. Porém, sendo usadas de maneira adequada, músicas podem se transformar em uma auxiliar e colaborar com a concentração de iniciantes na prática meditativa.

Única ressalva é que as faixas escolhidas não se tornem uma distração e sim parte de um objetivo específico dentro da meditação. “A maioria das pessoas prefere músicas sem letras, instrumentais ou com sons da natureza, por exemplo”, comenta Marjorie. Pensando nisso decidimos compartilhar com você como usar os sons para meditar melhor. Veja:

Entoe um mantra

Mantra é uma palavra ou um verso que é entoado repetida vezes e tem a intenção de tranquilizar a mente, mantendo o foco e acalmando os pensamentos. Muitos mantras são cantados e estão em diferentes línguas. Os mais conhecidos são os vindos do hinduísmo e budismo, mas outras religiões também possuem instrumentos semelhantes.

A recomendação de especialistas é usar o mantra como uma espécie de aquecimento para a meditação, que pode seguir depois em silêncio. A escolha de um mantra é um processo particular de cada indivíduo, portanto, procure entoar algumas vezes e sentir se este é o indicado para você. Cada pessoa sente a sonoridade dos mantras de maneira diferente, por isso busca utilizar um com o que você se sinta confortável.

Meditar com música como foco principal

Mesmo que as práticas mais tradicionais de meditação sejam feitas em silêncio, você pode utilizá-la como alternativa se tiver dificuldades de concentrar. Escolha uma música para ser o foco principal da sua prática. Faça dela o seu guia ao invés de deixá-la apenas como música ambiente.

“Qualquer atividade pode ser veículo para praticarmos atenção plena, então ouvir música por si só pode ser uma meditação, assim como andar, por exemplo”, explicou. Porém, para fazer do som seu objeto de atenção é preciso escolher a música correta. Busque sons instrumentais relaxantes, que remetam você aos sentimentos que deseja ter quando terminar sua meditação com música.


Dica de especialista: meditar com música significa deixar todo seu corpo escutar a música, não apenas os ouvidos. Se sentir dificuldades apague as luzes e se afaste de possíveis distrações como celular, por exemplo. Busque apenas ouvir e estar atento aos seus sentidos e sensações que vão surgir a partir dessa ato. Toda a vez que a sua mente divagar e você pensar nas tarefas diárias, preocupações, traga a sua atenção de volta para os sons que estiver ouvindo e use a música como sua âncora.

E você? Já tentou utilizar uma dessas táticas na sua prática meditativa? Conte para gente nos comentários.

 

Zenklub

Zenklub

Proporcionar um estilo de vida mais saudável e permitir que as pessoas se empoderem da sua saúde emocional e bem-estar é o objetivo do Zenklub. Para além das matérias no blog, no site você pode consultar um psicólogo por vídeo-chamada de onde estiver. São mais de 80 psicólogos a um clique de distância.
Zenklub